OUVIDORIA DO SINDICATO
CONTATO
SOBRE
HOME

SINASEFE/MT participa de ato contra o fechamento da EE Nilo Póvoas

SINASEFE/MT participa de ato contra o fechamento da EE Nilo Póvoas

Na tarde desta terça-feira (18), representantes do SINASEFE/MT estiveram presentes na manifestação em defesa da Escola Estadual Nilo Póvoas, em Cuiabá. O ato foi organizado pelos estudantes que estão há 9 dias ocupando o prédio da instituição com o intuito de fazer com que o governo do estado reveja a sua decisão de fechar a escola e transferi-los para outra unidade educacional.

Saiba Mais
Inscrições para delegado ou delegada da 162ª PLENA já estão abertas

Inscrições para delegado ou delegada da 162ª PLENA já estão abertas

Já estão abertas as inscrições para delegado ou delegada de base para a 162ª Plenária Nacional do SINASEFE que será realizada nos dias 14 e 15 de março, em Brasília.

 

Saiba Mais
É hora de abrir a discussão institucional do Future-se no IFMT e apontar as mazelas do programa

É hora de abrir a discussão institucional do Future-se no IFMT e apontar as mazelas do programa

Nesses últimos seis meses, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFMT), através dos seus representantes eleitos pela comunidade, Reitor e Diretores, não realizaram a apresentação do projeto e nem a discussão institucional da adesão ou não ao Programa com a comunidade educacional, destoando das práticas democráticas ocorridas na maioria das Instituições Federais de Ensino (IFES). 

Saiba Mais
Curso

Curso "Como Funciona a Sociedade" será ministrado no campus Bela Vista

"(...) O hospedeiro está morrendo. O cara virou um parasita, o dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático. Não dá mais, a população não quer isso".

Saiba Mais
Professora do IFMT lança coletânea em co-autoria com outros 12 autores

Professora do IFMT lança coletânea em co-autoria com outros 12 autores

A professora Stela Perné Santos, lotada no campus Pontes e Lacerda, é uma das autoras do livro “Lacunas” organizado por Alexandre Fonseca em parceria com Geovanne Albuquerque. A obra é resultado de um trabalho conjunto de 13 autores, todos com alguma deficiência, que contam em seus capítulos histórias sobre pessoas com deficiência e sua interação com o meio social.

Saiba Mais

HOME / NOTÍCIAS

Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 13h19   (Atualizada 21/01/2020 às 13:19)

Livro reúne críticas e oferece alternativas ao programa FUTURE-SE, do MEC

DISPONÍVEL GRATUITAMENTE

Os professores Salomão Ximenes e Fernando Cássio, da Universidade Federal do ABC (UFABC), organizam obra em que é discutida a fundo a polêmica proposta de reforma da educação superior pública no Brasil, denominada “Programa Universidades e Institutos Empreendedores e Inovadores” – Future-se, apresentada pelo Ministério da Educação (MEC).

 

O livro "Future-se? Impasses e perigos à educação superior pública brasileira" conta com a colaboração de 13 autoras e autores, entre gestores e ex-gestores, pesquisadores de política e legislação educacional, economia e políticas de ciência e tecnologia. Os textos traçam um diagnóstico dos impasses e problemas hoje enfrentados pelas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), apresentam e criticam os principais aspectos do Future-se, entendidos como insuficientes e falhos quanto ao propósito oficialmente anunciado de aumentar a autonomia administrativa, financeira e de gestão das IFES. O livro desconstrói os mitos disseminados com a proposta e aponta tendências de debates de médio e longo prazo sobre a educação superior pública no Brasil, das quais o Future-se é uma peça relevante.

 

Em sua maioria, os 11 capítulos resultam dos debates realizados na UFABC desde a divulgação do programa pelo MEC, em julho de 2019, em especial do seminário “Future-se? A universidade pública brasileira entre impasses e promessas” (12 ago. 2019), co-organizado por Fórum Permanente de Políticas Educacionais da UFABC, Grupo de Pesquisa “Direito à Educação, Políticas Educacionais e Escola” (DiEPEE), Associação dos Docentes da UFABC (ADUFABC) e programas de pós-graduação da Universidade.

 

O livro é dedicado à memória do professor Reginaldo Carmello de Moraes, reconhecido pesquisador dos temas de política de educação superior em perspectiva comparada, que veio a falecer no mês de agosto de 2019. Reginaldo participa da obra com um capítulo em que trata dos mitos e equívocos costumeiramente disseminados sobre o ensino superior nos Estados Unidos.

 

O livro pode ser acessado gratuitamente em: https://cutt.ly/Crqn7or.

 

 

CONTATOS

Prof. Salomão Ximenes: (11) 98224.6069 / salomao.ximenes@ufabc.edu.br

Prof. Fernando Cássio: (11) 99972-8937 / fernando.cassio@ufabc.edu.br

 

SUMÁRIO DA OBRA

 

Apresentação: impasses e perigos à educação superior pública brasileira

Salomão Ximenes e Fernando Cássio

 

Notas sobre o financiamento das universidades públicas e a importância dos recursos próprios

Mônica Schröder

 

Future-se: futuro de incertezas para as universidades e institutos federais

Maria Paula Dallari Bucci

 

O Future-se e as ameaças à autonomia universitária e ao debate democrático das políticas públicas

Dácio Roberto Matheus

 

O passado do Future-se: análise de conteúdo de três versões preliminares do programa

Salomão Ximenes, Carolina Gabas Stuchi e Rayane Vieira Rodrigues

 

Apontamentos sobre a configuração jurídica do programa Future-se e o modelo de gestão por Organizações Sociais

Carolina Gabas Stuchi

 

Fundos patrimoniais: o interesse da filantropia empresarial no Future-se e nas demais políticas públicas

Fernanda Vick

 

Future-se e a emergência do “financiamento inovador”

Marina Avelar

 

A lógica privada aplicada aos serviços públicos: lições a partir do sistema de saúde inglês

Maria Luiza Levi

 

Mitos e verdades sobre o financiamento do ensino superior nos Estados Unidos

Reginaldo C. Moraes

 

Future-se: apenas mais um golpe?

Otaviano Helene

 

Future-se: de pauta derrotada à agenda de longo prazo

Maria Caramez Carlotto

 

Autoras e autores

 

SOBRE O FUTURE-SE

 

Em julho de 2019, o Ministério da Educação (MEC) apresentou uma proposta de reforma da educação superior pública no Brasil, denominada “Programa Universidades e Institutos Empreendedores e Inovadores” – Future-se. O objetivo seria “aumentar a autonomia administrativa, financeira e de gestão das universidades e institutos federais”. Segundo o MEC, caberia às Instituições Federais de Educação Superior (IFES) decidirem quanto à adesão ao programa, que seria voluntária. Uma vez aderindo, contudo, deveriam estabelecer contrato de gestão com organização social (OS) previamente credenciada, adotar modelos gerenciais e de governança típicos do setor privado corporativo, entre outras medidas. Ato contínuo à divulgação da proposta, o MEC abriu uma consulta pública.

 

Não foram poucas as críticas ao Future-se. Desde a forma de comunicação, a ausência de diálogo prévio com dirigentes e comunidades universitárias, as fragilidades técnicas e jurídicas do documento e da consulta pública, a ausência de diagnóstico estruturado quanto aos desafios e impasses do setor e de justificativa quanto à viabilidade administrativa e econômica das medidas apontadas. Todos os pedidos de informação oficiais de relatórios das contribuições coletadas na consulta pública, custos das ações de comunicação relacionadas ao Future-se, pareceres técnicos, informações sobre organizações sociais credenciadas pelo MEC, análises e projeções econômicas, etc. – foram respondidos de forma simplória, insuficiente ou simplesmente resultaram em negativa de acesso por parte do MEC.

 

A falta de transparência do governo federal na lida com uma proposta de reforma universitária dessa magnitude – e, portanto, com claro interesse público – só contribui para aumentar a desconfiança das IFES e da sociedade em geral a respeito do Future-se. Nesse contexto, viu-se, ao longo de 2019, a rejeição formal do Future-se pela maioria das universidades federais e questionamentos por parte da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), dentre outras instituições representativas da comunidade acadêmica.

 

Em reação às críticas, e após concluído o processo de consulta pública, o MEC decidiu criar um “Grupo de Especialistas Jurídicos, de natureza técnica, com o objetivo de discutir e consolidar as propostas apresentadas por meio da pré-consulta aberta à comunidade sobre o Programa Future-se e elaborar proposição legislativa acerca do referido Programa”. O grupo produziu novas versões do projeto, divulgadas em outubro, com a promessa de que uma nova consulta pública seria realizada.

Fonte: Assessoria livro
Voltar

COMENTAR A NOTÍCIA

Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica - MT
Rua Marechal Floriano Peixoto, 97. CEP: 78.005-210. Cuiabá-MT
(65) 3358-3171 - (65) 99234-1887.   CNPJ:03.658.820/0010-54.  sinasefemt@sinasefemt.org.br
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados
WEB SITE DESENVOLVIDO E HOSPEDADO POR: MRX WEB SITE - WWW.MRXWEB.COM.BR