OUVIDORIA DO SINDICATO
CONTATO
SOBRE
HOME

Sindicato pede esclarecimentos urgentes sobre convocação irregular de servidores

Sindicato pede esclarecimentos urgentes sobre convocação irregular de servidores

O SINASEFE/MT solicitou ontem (13), à Reitoria do Instituto Federal de Mato Grosso, esclarecimentos acerca de convocações extraordinárias e irregulares realizadas no campus Sinop. Em duas ocasiões, a administração do campus emitiu comunicados convocando os servidores da instituição para a realização de atividades que não são de sua competência.

Saiba Mais
SINASEFE/MT promove ciclo palestras e debates em alusão ao Dia da Consciência Negra

SINASEFE/MT promove ciclo palestras e debates em alusão ao Dia da Consciência Negra

O SINASEFE/MT, através da Comissão de Mobilização Permanente – Campus Bela Vista, realiza nos próximos dias 18 e 19 de novembro no auditório do campus, o evento “Palmares somos todxs nós” para comemorar e promover a reflexão sobre o Dia da Consciência Negra.

Saiba Mais
Todo apoio à professora Camila Marques

Todo apoio à professora Camila Marques

O tempo em que vivemos, cada vez mais, se prova digno do título de fascista. Os exemplos são vastos: prisão arbitrária de líderes sindicais, execução sumária de defensores dos direitos humanos e lideranças dos movimentos sociais, recorrentes assassinatos das populações nas periferias, de indígenas e quilombolas, caça deliberada de militantes ambientais, censura contra a arte, defesa de um novo AI 5 etc.

Saiba Mais
Professora Camila Marques pode ser demitida por ter sido presa injustamente

Professora Camila Marques pode ser demitida por ter sido presa injustamente

A professora Camila Marques denuncia no vídeo acima que está sofrendo um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) aberto pelo reitor do Instituto Federal de Goiás (IFG), Jerônimo Rodrigues, após ter sido presa injustamente no dia 15 de abril de 2019.

Saiba Mais
UFMT oficializa rejeição ao Future-se

UFMT oficializa rejeição ao Future-se

Nesta quarta-feira, 06/11, a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) se uniu a outras dezenas de universidades federais que já rejeitaram formalmente o programa Future-se, apresentado pelo governo federal em julho deste ano. 

Saiba Mais

HOME / NOTÍCIAS

Quarta-Feira, 10 de Julho de 2019, 19h44   (Atualizada 10/07/2019 às 19:44)

Comissão do Senado aprova fim da estabilidade para servidores

SEGUE PARA O PLENÁRIO
Marcos Oliveira/Agência Senado

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado aprovou, nesta quarta-feira (10), o projeto de lei complementar que regulamenta a avaliação de desempenho dos servidores públicos e estabelece regras para a demissão por baixo desempenho. Inserida na Constituição pela Emenda Constitucional 19, em 1998, a avaliação carece de regulamentação.

 

Relatora da matéria na comissão, a senadora Juíza Selma (PSL-MT) apresentou um requerimento de urgência para o projeto. Com a aprovação do pedido, com voto contrário dos senadores Paulo Paim (PT-RS) e Zenaide Maia (PROS-RN), o texto seguirá diretamente para plenário. A oposição queria que o projeto passasse antes pela Comissão de Direito Humanos e Minorias.

 

Juíza Selma anotou que a medida não altera a estabilidade dos funcionários públicos. “Ressalto que este projeto corresponde sim aos anseios da população brasileira em ter um serviço público mais eficiente, expurgando do sistema aqueles servidores que insistem em ter conduta desidiosa e que em nenhum momento põe em risco a estabilidade do servidor público atento às suas atribuições”, argumentou.

 

Na mesma linha, o senador Lasier Martins (Podemos-RS) disse que a proposta visa melhorar a qualidade do serviço prestado à população. “(O projeto) tem a ver com a qualificação do funcionalismo, combate servidores estáveis ineficientes”, disse ao Congresso em Foco. “Há 21 anos se espera resposta à demanda constitucional. Estamos então apenas cumprindo a Lei Maior. O que queremos é valorizar o bom servidor e dar ao brasileiro o serviço público eficiente que merece”, acrescentou.

 

A matéria regulamenta o artigo 41, inciso primeiro, da Constituição. O dispositivo determina que o servidor estável – já transposto o período de três anos de estágio probatório – fica sob risco de perder seu posto de concursado em caso de resultado insatisfatório “mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho, na forma de lei complementar, assegurada ampla defesa”.

 

O que o texto promove é a definição de normas mais específicas para a execução de tais testes, com pontuação por desempenho. Lasier afirma ainda que a proposta foi amplamente debatida, passou por audiências públicas e foi submetida a consulta pública no site do Senado. Servidores presentes à audiência, no entanto, pressionaram os parlamentares para que votassem contra a matéria.

Fonte: Gabriel Garcia / Congresso em Foco
Voltar

COMENTAR A NOTÍCIA

Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica - MT
Rua Marechal Floriano Peixoto, 97. CEP: 78.005-210. Cuiabá-MT
(65) 3358-3171 - (65) 99234-1887.   CNPJ:03.658.820/0010-54.  sinasefemt@sinasefemt.org.br
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados
WEB SITE DESENVOLVIDO E HOSPEDADO POR: MRX WEB SITE - WWW.MRXWEB.COM.BR