OUVIDORIA DO SINDICATO
CONTATO
SOBRE
HOME

Nova comissão eleitoral é eleita em assembleia

Nova comissão eleitoral é eleita em assembleia

A assembleia de escolha foi transmitida ao vivo pelo YouTube e também contou com a presença in loco dos representantes das unidades do interior do estado que foram eleitos em suas respectivas assembleias especialmente para debater esta pauta

Saiba Mais
Servidores podem ter contribuição extra e alíquota maior

Servidores podem ter contribuição extra e alíquota maior

Objetivo é adotar regras rígidas para enfrentar o rombo nas contas do governo federal, estados e municípios

 

Saiba Mais
Assembleia para escolha de nova comissão eleitoral já tem data definida

Assembleia para escolha de nova comissão eleitoral já tem data definida

Após consultar todas as unidades vinculadas à Seção Sindical Mato Grosso e concluir a rodada de assembleias, a Diretoria Executiva do SINASEFE/MT informa a todos os servidores do IFMT que um novo processo eleitoral será deflagrado.

Saiba Mais
Assembleia para escolha de nova Comissão Eleitoral será em fevereiro

Assembleia para escolha de nova Comissão Eleitoral será em fevereiro

A Diretoria Executiva do SINASEFE Seção Sindical Mato Grosso informa a todos os servidores e demais interessados que uma assembleia será realizada na primeira quinzena de fevereiro para tratar especificamente da eleição da nova Comissão Eleitoral.

Saiba Mais
Confira o resumo do Encontro Regional Centro-Oeste

Confira o resumo do Encontro Regional Centro-Oeste

O Encontro Regional Centro-Oeste aconteceu entre os dias 14 e 16 de dezembro, em Goiânia (GO)

Saiba Mais

HOME / NOTÍCIAS

Terça-Feira, 07 de Agosto de 2018, 02h30   (Atualizada 07/08/2018 às 02:30)

Cortes feitos pelo governo Temer no Orçamento ameaçam paralisar bolsas e pesquisas da Capes

ATAQUES À EDUCAÇÃO

Em nota divulgada na quarta-feira (1), a Capes (Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) fez um alerta preocupante: os cortes no Orçamento da União de 2019, feitos pelo governo Temer, vão paralisar a concessão de bolsas de estudo e a pesquisa científica no país. A Capes é vinculada ao Ministério da Educação, responsável pelos programas de pós-graduação e pesquisa.

 

Pelos cálculos do Conselho Superior da Capes, a contenção de despesas previstas vai prejudicar 93 mil estudantes dos cursos de pós-graduação e ainda 105 mil que deixariam de receber as bolsas de estudo de três programas – Iniciação à Docência, a Residência Pedagógica e a Formação de Professores da Educação Básica.

 

A Capes informou ainda que há ameaças ao funcionamento da Universidade Aberta do Brasil, afetando a formação de mais de 245 mil professores da rede pública, em 600 municípios.

 

A medida, de acordo com a comissão, põe em risco o desenvolvimento de pesquisas científicas em curso em distintas áreas. Segundo a coordenação, se os cortes previstos forem mantidos, haverá a suspensão das bolsas e programas a partir de agosto de 2019.

 

O Projeto de Lei Orçamentária Anual para 2019 ainda não foi divulgado oficialmente pelo governo federal. Mas, no Orçamento deste ano, o valor destinado ao Ministério da Educação (MEC) é R$ 23,6 bilhões. Para o próximo ano, a previsão é que o MEC fique com R$ 20,8 bilhões, um corte de 12%, que foi repassado proporcionalmente à Capes.


Ataque à educação e à ciência

Para a diretoria do ANDES-SN ( Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior) o corte é muito sério e traz sérios reflexos à comunidade acadêmica e ao país.

 

“Já avaliávamos que entre a aprovação da LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias) e a LOA (Lei Orçamentária Anual), o governo iria ampliar os ataques à Educação, apesar de termos conseguido barrar em parte os ataques. Mas o projeto do capital é a privatização. A carta da Capes sinaliza isso. Esse corte no orçamento é a desestruturação completa da pós-graduação, quando é nesse setor que se produz mais de 80% das pesquisas no Brasil. É a destruição da ciência e tecnologia do país”, disse o presidente do Andes-SN, Antonio Gonçalves Filho.

 

“A gente tem de lutar e o Andes, assim como a CSP-Conlutas, deverão encampar essa luta e barrar mais esse ataque à classe trabalhadora brasileira”, disse.

 

A APES-JF, Seção Sindical do ANDES-SN, que representa os docentes da Universidade Federal de Juiz de Fora e do Instituto Federal do Sudeste Mineiro, também divulgou nota denunciando a gravidade da situação.

 

“A proposta do teto de investimentos segue a linha do ataque à pesquisa no Brasil, em mais uma tentativa de transformar as Instituições Federais de Ensino em grandes escolões, distanciadas da pesquisa e extensão. Apenas formadores de mão de obra, em um país dependente da produção de conhecimento e tecnologia vindas dos países centrais do sistema capitalista”, diz o texto.

 

“Nós defendemos o tripé ensino, pesquisa e extensão, desde que fundamos o ANDES, por entendermos sua importância na construção de um país independente. A ameaça de corte é muito grave e não ficará sem uma forte reação de todos os setores que defendem a educação brasileira”, afirmou Rubens Luiz Rodrigues, Presidente da APES.

 

A redução orçamentária é resultado da nefasta Lei do Teto de Gastos aprovada pelo governo Temer, que congelou por 20 anos os investimentos sociais no país, o que ameaça paralisar os serviços públicos nos próximos anos.

 

Fonte: CSP/CONLUTAS
Voltar

COMENTAR A NOTÍCIA

Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica - MT
Rua Marechal Floriano Peixoto, 97. CEP: 78.005-210. Cuiabá-MT
(65) 3358-3171 - (65) 99804-0518.   CNPJ:03.658.820/0010-54.  sinasefemt@sinasefemt.org.br
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados
WEB SITE DESENVOLVIDO E HOSPEDADO POR: MRX WEB SITE - WWW.MRXWEB.COM.BR