OUVIDORIA DO SINDICATO
CONTATO
SOBRE
HOME

Governo Temer perde votação e ataques aos serviços públicos são barrados

Governo Temer perde votação e ataques aos serviços públicos são barrados

O Governo Temer saiu derrotado da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias, ocorrida na noite desta quarta-feira, 11 de julho. Parlamentares cederam à pressão dos servidores públicos e retiraram da LDO 2019 a redução de 10% das verbas de custeio e a proibição de reajuste salarial, contratação de novos servidores e reestruturação de carreira.

Saiba Mais
Comunicado sobre a telefonia

Comunicado sobre a telefonia

O SINASEFE/MT comunica a todos os servidores do Instituto Federal de Mato Grosso que as redes de telefonia e internet do sindicato estão passando por problemas de cunho técnico e não estão funcionando no momento.

Saiba Mais
PLDO 2019: SINASEFE na luta em defesa dos serviços e dos servidores públicos

PLDO 2019: SINASEFE na luta em defesa dos serviços e dos servidores públicos

O SINASEFE esteve presente, na manhã de hoje (10/07), numa reunião entre entidades sindicais e parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT), que teve por objetivo organizar a luta e a pressão sobre deputados e senadores em torno da votação do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para o exercício de 2019.

Saiba Mais
Orçamento de 2019 exclui reajuste salarial para servidores públicos

Orçamento de 2019 exclui reajuste salarial para servidores públicos

Relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias explicou que é preciso adotar medidas "não simpáticas" para diminuir as despesas para o próximo governo

 

 

Saiba Mais
Cármen Lúcia suspende obrigação de pagamento do piso para professores do estado do Pará

Cármen Lúcia suspende obrigação de pagamento do piso para professores do estado do Pará

 O pagamento de um valor mínimo para os professores é lei desde 2008. O piso nacional do magistério é atualmente R$ 2.455,35, para jornada de 40 horas semanais.

Saiba Mais

HOME / NOTÍCIAS

Quarta-Feira, 08 de Novembro de 2017, 21h13   (Atualizada 08/11/2017 às 21:13)

Servidores de cinco unidades do IFMT vão paralisar nesta sexta-feira (10)

GREVE GERAL

Após assembleias, os servidores de cinco unidades do Instituto Federal de Mato Grosso deliberaram pela adesão ao Dia Nacional de Greve Geral na próxima sexta-feira, 10 de novembro.

 

A decisão foi tomada pelas duas categorias que fazem parte do SINASEFE/MT, tanto professores quanto técnico-administrativos das unidades de Alta Floresta, Bela Vista, Campo Novo do Parecis, Cuiabá e Reitoria vão interromper as atividades para se manifestarem contra os retrocessos e retirada de direitos promovidos pelo governo do presidente Michel Temer. As demais unidades não vão paralisar, porém, seguem fazendo atividade de conscientização com a comunidade interna e externa.

 

O Dia Nacional de Luta, convocado por centrais sindicais de todo o país, incluindo a CSP-CONLUTAS a qual o SINASEFE é vinculado, tem como objetivo fortalecer e reunir todas as categorias de trabalhadores do Brasil numa grande empreitada contra os cortes orçamentários na Educação, Saúde, Segurança, Ciência e Tecnologia. De acordo com a Direção Nacional do SINASEFE "o orçamento para a educação tecnológica tem caído assustadoramente desde a subida de Temer ao poder. Em 2016 estava na ordem dos R$ 7 bilhões, em 2017, na casa dos 5 bilhões, para o ano que vem, a previsão é que não chegue a 3 bilhões."

 

Os trabalhadores também vão às ruas se manifestar contra a Reforma Trabalhista, que entra em vigor no próximo sábado (11), e subtrai direitos históricos conquistados pelos trabalhadores brasileiros e fragiliza as relações de trabalho, colocando o empregador em uma posição muito mais vantajosa e opressora em relação ao empregado.

 

Está em pauta também a Reforma da Previdência, uma vez que a CPI da Previdência no Senado já mostrou que a Seguridade Social no Brasil é superavitária e que o discurso de déficit reproduzido pelo governo é falacioso e induz o brasileiro ao erro.

 

O Plano de Demissão Voluntária (PDV) e a Medida Provisória 805/17, que congelou os reajustes aos servidores públicos e aumentou de 11% para 14% a contribuição previdenciária, também estão na mira dos protestos. Além disso, os trabalhadores são contra a terceirização irrestrita, entre outros. 

Fonte: Assessoria
Voltar

COMENTAR A NOTÍCIA

Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica - MT
Rua Marechal Floriano Peixoto, 97. CEP: 78.005-210. Cuiabá-MT
(65) 3358-3171 - (65) 99804-0518.   CNPJ:03.658.820/0010-54.  sinasefemt@sinasefemt.org.br
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados
WEB SITE DESENVOLVIDO E HOSPEDADO POR: MRX WEB SITE - WWW.MRXWEB.COM.BR